Partilhe nas Redes Sociais

PUB

O que vai mudar nos serviços financeiros com a transformação digital

Publicado em 30 Janeiro 2018 por Ntech.news - Ana Rita Guerra | 316 Visualizações

Num ambiente em que os consumidores esperam serviços mais acessíveis, disponíveis em qualquer dispositivo e a qualquer hora do dia, há duas áreas tecnológicas que vão fundamentalmente transformar os serviços financeiros: biometria e inteligência artificial. Os especialistas da Unisys debruçaram-se sobre este tema e fizeram três previsões sobre a forma como estas tecnologias irão alterar os serviços financeiros, à medida que avança a digitalização da banca e dos sectores associados.

O conselho da Unisys é, como não podia deixar de ser, que as organizações aproveitem os avanços em segurança e tecnologia preditiva para melhorarem a sua eficiência e agilidade. O objetivo final deve ser oferecer uma melhor experiência do cliente, o que será particularmente benéfico para bancos de dimensões mais pequenas, que procuram diferenciar-se.

«Vemos a experiência do cliente como o principal ponto de diferenciação para a estratégia digital dos bancos», explica Eric Crabtree, líder global de serviços financeiros da Unisys. Embora os clientes confiem nos seus dispositivos móveis para realizarem operações bancárias, as preocupações de segurança continuam a ser o principal desafio, acrescenta. «Vemos uma mudança para este ano de um movimento dos bancos em direção a um modelo de negócio mais integrado, omnicanal, que permite aos clientes pagar contas, solicitar empréstimos ou comprar bens e serviços em movimento, enquanto utilizam novos métodos de autenticação para garantir que os seus dados estão protegidos.»

Eis as três previsões dos especialistas da Unisys:

1 – Autenticação biométrica será prevalente

A generalização da autenticação biométrica em 2018 irá além das ferramentas tradicionalmente conhecidas, como a impressão digital, reconhecimento facial e de íris. Os avanços na biometria comportamental permitirão que os bancos analisem o uso de smartphones ou tablets para formar perfis comportamentais de identificação em várias áreas, medindo desde a força que os utilizadores usam no ecrã aos ângulos de deslize dos dedos e à velocidade de digitação. Quando combinado com outros métodos de autenticação, como a impressão digital ou de íris, este tipo de perfil biométrico comportamental torna-se um diferenciador importante para assegurar que a pessoa está autorizada a realizar determinada transação.

2 – Chatbots oferecerão assistência em tempo real

Enquanto as ferramentas de inteligência artificial são usadas por alguns bancos para fornecer informações básicas ou lidar com tarefas menores, como saldos de contas, a Unisys prevê que a maturação desta tecnologia, alimentada por aprendizagem de máquina e análises avançadas, permita que os chatbots ofereçam uma experiência bancária mais abrangente e personalizada.

Além de um nível de serviço mais aprofundado, este avanço elimina a necessidade de aguardar ao telefone ou online para falar com o suporte ao cliente, oferecendo resultados em tempo real. Também é esperada uma maior integração da inteligência artificial baseada em voz com assistentes digitais para facilitar os pedidos bancários, uma vez que esses serviços alteraram a forma como interagimos com a tecnologia.

3 – Pequenos bancos vão reinventar a sua estratégia

O mercado bancário tradicional foi afetado pela disrupção tecnológica à medida que as fintechs  criaram e desenvolveram soluções digitais centradas no cliente, capazes de atrair consumidores descontentes com os serviços bancários existentes.

A Unisys prevê que os avanços na tecnologia biométrica e preditiva, juntamente com a crescente acessibilidade e melhor valor agregado, permitirão que pequenos bancos transformem as suas ofertas e capacidades de atendimento ao cliente, ajudando a trazer soluções para o mercado a um ritmo mais rápido do que um banco tradicional pode oferecer de maneira autónoma.

Além disso, a tecnologia alimentará a inovação que os bancos podem utilizar para prosperar na era digital, oferecendo uma experiência integrada que aumenta a fidelidade do cliente e, como resultado, cria novas oportunidades de receita.


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados