Partilhe nas Redes Sociais

PUB

GMV: Innovating solutions in Cybersecurity

Oracle OpenWorld entre base de dados inteligente, blockchain e bots

Publicado em 9 Outubro 2017 | 100 Visualizações

A Oracle sabe que tem de recuperar caminho na transição para a nuvem e aproveitou o evento anual OpenWorld, em São Francisco, para apresentar os seus melhores argumentos. Entre as muitas novidades apresentadas pela empresa, a mais relevante é a base de dados autónoma que foi introduzida pelo chairman Larry Ellison.

«Já não há erros de pilotagem, porque não há piloto. Toda a administração da base de dados é completamente automática», anunciou Ellison. A Oracle Autonomous Database Cloud, disse, é a primeira base de dados do mundo com gestão autónoma, alimentada por capacidades de inteligência artificial (aprendizagem de máquina). É uma inovação relevante da empresa, ao eliminar a necessidade de gestão humana nas bases de dados e facilitar as atualizações automáticas. Uma das principais vantagens, além de evitar o erro humano, é que os tempos de paragem são reduzidos para mínimos (menos de 30 minutos por ano) e os custos são reduzidos.

Ellison dedicou uma porção da sua apresentação a criticar a rival, Amazon Web Services, e garantiu que esta solução da Oracle permite cortar os custos para metade do valor em comparação com a AWS. Bónus: inclui aplicações de cibersegurança que previnem ataques informáticos em tempo real. «Os preços da Amazon são cinco a oito vezes mais caros do que a Oracle Autonomous Database para correr uma carga de trabalho semelhante», afirmou. E ainda aproveitou para algumas alfinetadas extra: «Não é fora do comum que os nossos concorrentes utilizem as nossas tecnologias. A Amazon sabe-o. Eles são um dos maiores utilizadores do mundo de Oracle, bem como a SAP», continuou o homem forte da Oracle.

O outro foco deste OpenWorld esteve na tecnologia blockchain, cuja aplicação empresarial tem sido liderada pela IBM. A Oracle revelou uma oferta para as empresas que querem começar a explorar esta tecnologia sem terem de se preocupar muito com a sua gestão. O Oracle Blockchain Cloud Service integra-se na Oracle Cloud Platform e oferece uma plataforma completamente gerida pela fabricante, com provisões rápidas, operações simplificadas, monitorização integradas, backups contínuos – enfim, tudo pronto para usar sem grandes dores de cabeça.

«A blockchain promete transformar fundamentalmente a forma como os negócios são conduzidos, tornando as interações entre empresas mais seguras, transparentes e eficientes», resumiu Amit Zavery, vice presidente sénior da Oracle Cloud Platform. O novo serviço da empresa, argumentou, dá capacidades blockchain de nível empresarial e acelera a inovação para os clientes ERP on-premises e SaaS e PaaS na nuvem. A tecnologia blockchain assegura a inviolabilidade do registo de transações, o que a torna muito atrativa na era da transição para a nuvem.  «As empresas podem agora agilizar as operações no seu ecossistema e expandir o alcance do mercado com novos fluxos de receitas, partilhando dados e fazendo transações dentro e fora da nuvem da Oracle», acrescentou o responsável. Para mostrar como está focada na tecnologia, a empresa aderiu ao projeto Hyperledger.

 

Mais inteligência artificial

Uma terceira novidade relevante é a introdução de bots de conversação alimentados a inteligência artificial, que fazem parte da atualização da Oracle Mobile Cloud. A ideia é dar às empresas novas formas de interagirem com os clientes em dispositivos móveis, através de bots de conversação inteligentes. Estes bots conseguem compreender linguagem natural e determinar a intenção dos utilizadores, ajudando as empresas a processarem as interações, integrando-as com os dados já existentes, e a responder automaticamente.

Para facilitar a tarefa, passa a estar disponível a ferramenta de desenvolvimento low-code Bot Builder. Os bots suportam a maioria dos canais usados pelos utilizadores – desde o Messenger do Facebook ao Skype, Slack, Amazon Echo, Google Home, etc.

«À medida que o comportamento dos utilizadores transita para as plataformas móveis e de mensagens, é crítico que as empresas evoluam para apoiar os canais preferidos dos clientes», indica Amit Zavery. Segundo ele, ao utilizar a Oracle Mobile Cloud, as empresas poderão «continuar a fortalecer estas relações, mesmo que os utilizadores deixem de interagir via website e aplicações móveis tradicionais e passem para os canais de mensagens».


Publicado em:

Negócios

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados