Partilhe nas Redes Sociais

Rumo firme, cultura forte, marketing sempre presente: a Feedzai venceu assim

Publicado em 5 Dezembro 2019 por Cristina A. Ferreira - Ntech.news | 675 Visualizações

A Feedzai é uma das startups nascidas em Portugal na última década, que mais se tem destacado a nível internacional. Desenvolveu uma plataforma baseada em inteligência artificial, que ajuda empresas do sistema financeiro no combate à fraude e esquemas de lavagem de dinheiro e tem na lista de clientes tem 10 dos 25 maiores bancos a nível mundial. 

Mariana Jordão, é a diretora de operações da tecnológica portuguesa e abriu esta quinta-feira a segunda edição da conferência Falando TI, partilhando a experiência da empresa nestes 10 anos de existência, que começaram com o sonho dos três fundadores e prosseguem para cenas dos próprios capítulos com 500 colaboradores de 20 nacionalidades e escritórios em nove países. 

Recuando ao início da história, Mariana Jordão admite que o passo mais determinante foi «definir um rumo» e segui-lo sem desvios. A Feedzai testou vários, antes de mergulhar nas fintech, admitiu a responsável, das utilities à saúde. Acabou por perceber que as maiores oportunidades estavam na área financeira e apostou aí todas as fichas.

Inovar não chega

Área escolhida, foi sempre claro que a aposta na inovação era um dos elementos chave do negócio, reconhece, mas a tecnológica rapidamente percebeu que tinha de juntar a isso a «capacidade de customizar produtos» e concentrou-se em «desenvolver uma cultura de produto muito forte». Hoje a maior área da empresa é a de produto e a envolvê-la está uma estratégia de marketing e vendas que caminham de mãos dadas.

Sobre o tema, Mariana Jordão garante que mesmo na fase mais inicial da vida da Feedzai «nunca descurámos a questão do marketing», ao contrário do que se passa com muitas empresas TI, que concentram todos os esforços nas vendas. Nas vendas a companhia admite que também teve cuidados especiais na hora de montar a equipa. A grande preocupação inicial passou por «criar uma equipa com as competências certas» para responder a «uma venda que é técnica e longa», sublinhou Mariana Jordão. A resposta passou pela profissionalização da área, com uma forte aposta em formação interna e na criação de uma sales academy. 

Números e métricas rigorosas para não perder o rumo 

Na mesma talk a gestora partilhou mais algumas prioridades da Feedzai, que relaciona com o sucesso da empresa, como o rigor financeiro e as métricas. «Queremos estar preparados para o dia de chuva», sublinhou, acrescentando que «medir é fundamental para perceber se estamos no caminho certo». 

A cultura da empresa foi outra componente que destacou, partilhando exemplos de iniciativas para troca de ideias e feedback, como as reuniões (online) que juntam periodicamente gestão e colaboradores, onde estes podem colocar questões e partilhar preocupações. E também deixou um alerta. 

A forma como trabalhamos está a mudar. Seja por escassez de talento, harmonização da vida profissional e pessoal ou dispersão geográfica das empresas, os modelos de trabalho flexíveis e remotos são cada vez mais necessários e geri-los vai ser um desafio cada vez maior para as empresas. Mesmo para as companhias como a Feedzai, que já fazem um esforço significativo para integrar esta heterogeneidade de modelos de trabalho, há muito caminho a percorrer: «ainda só estamos na ponta do iceberg», defendeu Mariana Jordão.

A conferência Falando TI já tem reedição garantida a 3 de dezembro de 2020. A iniciativa é organizada pela OUTMarketing e conta com o Ntech.news como media partner.  



Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados