Partilhe nas Redes Sociais

PUB

«A analítica é o motor da mudança…»

Publicado em 5 Junho 2018 por Ntech.news - Luísa Dâmaso | 163 Visualizações

A 23ª edição do SAS Fórum Portugal colocou mais uma vez em evidência a importância dos dados e da analítica na fórmula que sustenta a competitividade das empresas no presente, mas que será decisiva para que os negócios possam prosperar no futuro.

«Os dados podem efetivamente ensinar-nos muito sobre os negócios e são, provavelmente, o recurso mais valioso que temos à nossa disposição, sendo que de nada valem sem a analítica», afirmou por Ricardo Pires Silva, diretor executivo do SAS Portugal.  De acordo com este responsável, a analítica é «o motor da mudança» e uma vantagem competitiva incomparável para as organizações, sedo que todos os recursos tecnológicos sustentados na sensorização de tudo, ou na inteligência artificial e no machine learning, estão a reforçar a forma como a analítica irá impactar as estratégias organizacionais. «Vivemos hoje num mundo mais inteligente, mas também mais preparado para responder aos desafios da economia analítica», reconheceu Ricardo Pires Silva.

Os desafios estão identificados e as oportunidades também. Sectores como a Banca, os Seguros, as Telecomunicações, o Ensino, a Energia, ou a Saúde já reconheceram que o “caos” dos dados tem na união entre as pessoas e os modelos analíticos os seus maiores adversários, e que a tecnologia SAS tem construídas as bases para que os dados devidamente ordenados produzam o conhecimento necessário para dar sentido às estratégias das organizações e abrir as portas à inovação e à sustentabilidade dos negócios no futuro.

Destaque para a intervenção de Hannah Fry, Matemática na UCL, que trouxe ao palco do SAS Fórum Portugal a suspeita relação entre pessoas e máquinas.  Para sossegar os espíritos mais cépticos nesta área, para que não vejam as máquinas como uma ameaça, mas como um complemento, esta especialista desdramatizou a ideia da substituição que muitos possuem quando se fala em tecnologias como a IA ou a robotização. «A tecnologia ajuda-nos a ser mais humanos… e não se pense que as máquinas nos substituirão, tem de haver sim interação das pessoas com as máquinas», assegurou Hannah Fry.

A plataforma SAS Viya é o trunfo que o SAS coloca à disposição das organizações que estejam a posicionar-se para surfar esta onda de dados que se formou no mercado. Uma base tecnológica de valor acrescentado que integra com áreas tão diversas como as de inteligência artificial e machine learning, blockchain, ou IoT para dar respostas a contextos de smartcities, combate e prevenção da fraude, gestão de risco, GDPR, marketing analytics, entre outros.

Accenture, Ageas, Banco Big, Brisa, CGI, Cisco, Closer, COTEC, Crédito Agrícola, EDP, Fidelidade, Galp, Habber Tec, José de Mello Saúde, KPMG, Millennium bcp, Mind Source, Montepio, NOVA IMS, PASSIO, PwC, Timestamp, Turismo de Portugal e Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias foram algumas das entidades que partilharam conhecimentos e experiências com a Analítica.


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados