Partilhe nas Redes Sociais

Big data dá sinais na Segurança Social

Publicado em 4 Outubro 2015 | 1414 Visualizações

O projecto Signal, que nasceu conceptualmente no segundo trimestre de 2014 no Instituto de Informática, visa aproveitar tecnologias de big data no processamento e agregação massiva de dados. O objectivo deste projecto é a implementação e exploração de uma plataforma de agregação massiva de dados para a categorização de risco, segurança e prevenção de fraude na Segurança Social portuguesa.

 

João Mota Lopes, vogal do conselho directivo do Instituto, explica que as bases de dados que constituem o SISS – Sistema de Informação da Segurança Social – contêm um potencial enorme de dados, parte já explorada através do SESS – Sistema de Estatísticas da Segurança Social – outra parte ainda por explorar no que diz respeito à detecção de padrões de comportamento e correlação entre os mesmos e que é de difícil exploração por necessidade de uma plataforma específica para o fazer.

Existe também o potencial de relacionar os dados que existem no SESS com outras fontes externas e fidedignas de dados, seja através dos diversos protocolos já existentes, seja através de novos que poderão ser protocolados.

 

A fase um do projecto Signal encontra-se implementada. A fase dois está em planeamento. Foram investidos em 2014 para a fase um do projecto Signal cerca de 100 mil euros e para a fase dois está orçamentada a mesma quantia. Estima-se assim o retorno do investimento em cerca de quatro meses.

 

De acordo com o responsável os impactos deste projecto podem ser medidos ao nível dos clientes, operacional e estratégico. A melhoria da eficácia no combate à fraude na Segurança Social, da melhoria da eficiência orçamental do Estado português e do cumprimento das directivas, nomeadamente a Resolução do Conselho de Ministros n.º 112/2012, medida 3.4.5 – Combate à fraude e evasão contributiva e prestacional, e comunicação automática de ilícitos são juntamente com a resposta à medida PGETIC n.º 11 – Interoperabilidade na Administração Pública, e o alinhamento deste projecto com as Iniciativas Ministeriais PGETIC: racionalização da utilização das TIC, governação integrada das TIC, redução de custos com as TIC alguns dos ganhos estratégicos e competitivos alcançados.

 

Intel, Cloudera, Datalab, OraWin, Fujitsu, foram os parceiros de inovação do Instituto de informática.


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados