Partilhe nas Redes Sociais

Bosch e Universidade do Minho aceleram juntas na mobilidade e os resultados já estão na estrada

Publicado em 10 Novembro 2021 por Cristina A. Ferreira | 519 Visualizações

A Bosch e a Universidade do Minho apresentaram esta semana o balanço de uma parceria que liga a empresa e a universidade desde 2013, da qual resultaram já 165 milhões de investimento, em projetos de I&D, a contratação de 750 profissionais e mais de 70 patentes. No centro da parceria estão soluções de mobilidade, que equipas das duas entidades têm desenvolvido em conjunto, muitas delas já no mercado, a integrar soluções que a fabricante alemã fornece à indústria automóvel. 

Um dos principais exemplos desta cooperação para a transferência de tecnologia é o optical bounding, uma tecnologia de ecrã que permite diminuir reflexos e melhorar o contraste de imagem mesmo em ambientes de muita luminosidade. Os produtos que integram esta tecnologia representam hoje mais de 80% da faturação da Bosch Car Multimedia. 

Mas o trabalho conjunto cobre também áreas de inovação numa fase mais experimental, como a dos carros autónomos, sobretudo ao nível dos sensores para LiDARs, os sistemas que fazem o reconhecimento e mapeamento do espaço envolvente num carro autónomo, mas não só. Na Bosch Car Multimedia também se desenvolvem sensores de monitorização das condições de piso, do condutor e passageiros ou de posicionamento dos veículos. 

As inovações foram demonstradas em Braga no evento Next – Driving Tomorrow, onde a empresa também mostrou como está a aproveitar a tecnologia V2X, um protocolo de comunicação entre veículos, que a partir de 2025 começará a ter de ser usado pelos fabricantes, para promover maior segurança na estrada.

Tendo por base esta tecnologia, Bosch e UM têm trabalhado num dispositivo que qualquer fabricante poderá integrar num veículo, para emitir alertas e agilizar a reação de outros condutores em situações de perigo, como uma travagem brusca. No cenário de demonstração montado em Braga as equipas mostraram que a reação do condutor que recebe o alerta, mesmo sem ver que alguém trava na sua faixa, é mais rápida que a do veículo imediatamente atrás dessa travagem. 

Parcerias com Universidades do Porto e de Aveiro em preparação

A área da segurança dá o mote para muitos dos projetos que têm unido a UM e a Bosch nesta parceria, mas não só. Outro projeto em demonstração detalhava o trabalho já realizado por outra equipa, para ajudar a reduzir os enjoos durante uma viagem de carro. Sabendo que o enjoo é uma reação do cérebro à falta de tempo para compensar um estímulo, a equipa está a desenvolver um sistema com alertas sonoros, luminosos e visuais (num ecrã que estimula a visão periférica), que vai antecipar em segundos o que está prestes a acontecer no veículo (travagem, mudança de direção ou aceleração). Num futuro em que a condução autónoma vai libertar quem anda de carro para trabalhar ou estar em lazer durante a viagem, treinar o cérebro para desfrutar disso o mais possível, sem reações como o enjoo, pode ser uma mais-valia. 

Neste futuro em que os carros não vão precisar de condutor, espera-se que as soluções de mobilidade partilhada ganhem tração e algumas das inovações que o evento Next – Driving Tomorrow demonstrou em Braga foram pensadas para facilitar estes modelos de negócio e para tornar seguras viagens que podem juntar desconhecidos. 

Exemplo disso são as soluções que permitem, com a ajuda de câmaras e sensores, identificar emoções e objetos estranhos (como armas) dentro dos veículos e gerar alertas, criar tecidos inteligentes e novos materiais, que um dia vão integrar sistemas de auto-limpeza dos veículos, ou gerar alertas quando algum objeto fica esquecido num banco ou tapete.       

Mais perto de chegar ao mercado estão outras soluções também ali mostradas, que podem dar informação em tempo real aos gestores de frotas, de uma rent a car ou de um serviço de car sharing. Com chegada ao mercado prevista já para o próximo ano, num modelo de subscrição, a Bosch quer lançar um sistema que permite fazer a monitorização ativa de tudo o que pode afetar a estrutura de um veículo. Regista áudio (que só grava em situação de alerta), movimento e qualidade do ar, através de um  dispositivo instalado no retrovisor que vai informar os operadores de frotas, em tempo real, se alguém fumar no carro, bater ou passar mal. 

A parceria com a Universidade do Minho vai continuar. Carlos Ribas, representante da Bosch em Portugal, explicou ao Ntech.news que estão neste momento já a ser avaliadas novas oportunidades de cooperação e projetos. Antes do final do mês, está prevista para dia 23 de novembro, a assinatura de um protocolo de cooperação em moldes idênticos com a Universidade do Porto e vai também nascer um terceiro acordo, com a Universidade de Aveiro. 

No evento que fabricante alemã organizou em Braga foi também possível ver soluções desenvolvidas para a fábrica do futuro e para melhorar a segurança da condução sobre duas rodas.


Publicado em:

Projetos

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados