Partilhe nas Redes Sociais

Indra integra blockchain em solução de pagamento de portagens

Publicado em 19 Novembro 2021 | 42 Visualizações

Blockchain

A Indra está a testar a integração de capacidades de registo de transacções numa cadeia de blockchain, no sistema de backoffice de portagens da sua linha de soluções Mova Collect. Com este avanço, os operadores e concessionárias passarão a poder registar todas as operações de forma mais rápida e mais segura, sublinha a empresa.

 A solução está a ser desenvolvida numa plataforma de software-as-a-service, que vai permitir registar as transações de portagem e os processos de liquidação associados, melhorando a rastreabilidade. A plataforma usada é a Quorum, uma plataforma empresarial de Blockchain descentralizada, que suporta a concessão de diferentes permissões para diferentes tipos de utilizadores, tendo em conta a respetiva função no modelo de negócio. Ao contrário do que acontece noutras plataformas blockchain, como a Ethereum, isto permite que a informação não seja pública, destaca também a empresa espanhola. 

A solução tecnológica vai agora ser validada numa autoestrada do México, no âmbito de uma parceria com a empresa que a gere, a Roadis. 

No futuro, a solução será uma mais-valia sobretudo para contextos de cobrança eletrónica de portagens, ou para situações em que existem várias concessões e interoperabilidade entre si, explica a empresa.

Para os utilizadores, o recurso a blockchain não interfere com o processo normal de pagamento. A interface de pagamentos mantém-se, a única alteração é que passam a poder receber alertas para consulta de informação, quando são identificadas discrepâncias nos registos. 

«Aplicar blockchain nos processos e transações que se realizam nos sistemas de backoffice de um sistema de portagens (integridade das operações, clearing entre operadores, pagamentos à entidade central, auditoria financeira, controlo de fraude, etc.) permite reduzir os conflitos entre os diferentes players devido a possíveis discordâncias», explica a empresa. É também uma forma de facilitar as tarefas de liquidação e auditoria, para além de facilitar a gestão das listas de utilizadores bloqueados por atrasos no envio dos registos de matrículas.

O projeto Critical-Chains, onde se integra este use case, é financiado pelo Horizonte 2020 e liderado pela Universidade de Reading (Berkshire). Conta com 12 parceiros de oito países. A Indra é responsável pelo caso de uso para a área dos transportes e lidera também o grupo de trabalho encarregue de validar o framework desenvolvido em diferentes âmbitos: banca, seguros, instituições financeiras e autoestradas com portagem.

A Indra adianta ainda que está também a usar blockchain noutro projeto, o SIMPLE (SIMplification of Processes for a Logistic Enhancement), que vai desenvolver e implementar a janela única logística espanhola. A solução, que está a ser desenvolvida pela subsidiária Minsait, vai integrar toda a informação da atividade do transporte de mercadorias e a logística em Espanha. 


Publicado em:

Projetos

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados