Partilhe nas Redes Sociais

MWC2019: Os smartphones estão a mudar e em Barcelona mostrou-se como

Publicado em 28 Fevereiro 2019 por Cristina A. Ferreira - Ntech.news | 184 Visualizações

Esta quinta-feira a edição de 2019 do Mobile World Congress, uma das maiores feiras mundiais de comunicações móveis, encerra portas. Num ano em que se esperam largos progressos na implementação das redes 5G um pouco por todo o mundo, o tema não podia deixar de ser um dos grandes focos do evento. E foi mesmo.

A próxima geração das comunicações móveis centrou várias apresentações, deu conteúdo a novas parcerias reveladas na feira, como fez a Ericsson, e também está já nas especificações de alguns dos smartphones que brilharam nos expositores na Fira Gran Via. Mas as novidades nas dezenas (ou mesmo centenas) de telemóveis mostrados por estes dias em Barcelona não ficaram por aí. Os fabricantes, que têm cada vez mais de dividir a atenção dos visitantes com outros temas ligados à mobilidade, mostraram que ao nível do design nem tudo estava já inventado nos smartphones.

Tamanhos cada vez maiores continua a ser a tendência, até porque o 5G vai trazer cada vez mais conteúdo para os smartphones, mas a receita para lá chegar está a mudar e os equipamentos de ecrãs dobráveis – que há tantos meses alimentam rumores – começaram a ser revelados. Mas vamos por partes…

Samsung com propostas para todos os gostos (e carteiras)

A Samsung não quis esperar pelo arranque do Mobile World Congress para revelar as novidades que acabaria por mostrar na feira e antecipou-se com apresentações em São Francisco e Londres dias antes, para anunciar o portefólio dos próximos meses. Revelou a nova família S10, atualizando o topo de gama da marca com quatro variantes: S10e, S10, S10+ e o S10 5G, com tamanhos de ecrã a variar entre 5,8 e 6,7 polegadas (no modelo 5G). Comum às três variantes 4G, as primeiras a chegar às lojas, é o processador Exynos 9820 de oito núcleos, o suporte para Wi-Fi 6, bem como os 128 GB de armazenamento e 8 GB de RAM das versões base.

Nos ecrãs, os três modelos também partilham a opção pelo design Infinity-O, que otimiza a área disponível remetendo as câmaras frontais, neste caso concreto, a pequenos furos na superfície, que permitem aumentar para 93% o aproveitamento do ecrã. Os três modelos contam com reconhecimento facial e sensor de impressões digitais. S10 e S10+ integram-no no ecrã, S10e na zona lateral.

Ainda em relação à imagem, diga-se que o S10 e o S10+ contam com uma câmara tripla traseira, com diferentes tipos de lentes. O S10e só tem duas lentes atrás. A autonomia é outra aposta forte da Samsung nos novos modelos, doseada com diferentes nuances. Nos modelos 4G o mais generoso é o S10 (4.100 mAh), o modelo 5G vai até aos 4.500 mAh. Os preços destes modelos começam nos 779,9 euros, para S10e e ultrapassam os 1.600 euros, no S10+ de 1 TB. Os três modelos estão já em pré-venda, mas só começam a chegar aos clientes a partir de 8 de março. O modelo 5G ainda não tem preço conhecido e só chegará às lojas no verão.

No capítulo dos telemóveis dobráveis, a Samsung apresentou o Galaxy Fold, com um ecrã de 7,3 polegadas Infinity Flex Display, que «encolhe» para 4,6 polegadas, quando o equipamento está dobrado. O equipamento tem 12 GB de RAM e um armazenamento interno de 512 GB. Integra seis câmaras, três das quais na traseira e já tem data de lançamento para a Europa, agendada para 3 de maio. Será mais uma das apostas da Samsung para a nova geração de comunicações móveis, já que vai ter uma versão com 5G (e outra com LTE). Tecnologias à parte, o preço não é para todas as carteiras: 1.980 dólares.

Por Barcelona desfilaram ainda mais novidades da fabricante sul-coreana, como os novos membros da família Galaxy A, uma gama média onde chegam cada vez mais atributos típicos dos topos de gama. Destaque para o A50 e A30.

LG aposta forte no 5G


Nas novidades da LG um dos principais destaques da feira também foi para um smartphone 5G, o LG V50. Com um ecrã FullVision OLED Quad HD de 6,4 polegadas, o equipamento integra um processador Qualcomm Snapdragon 855, 6GB de RAM e 128GB de armazenamento interno, que podem estender-se aos 2TB com um microSD.


Nas novidades da LG um dos principais destaques da feira também foi para um smartphone 5G, o LG V50. Com um ecrã FullVision OLED Quad HD de 6,4 polegadas, o equipamento integra um processador Qualcomm Snapdragon 855, 6GB de RAM e 128GB de armazenamento interno, que podem estender-se aos 2TB com um microSD.

Vídeo de apresentação do LG V50 com suporte para 5G

Outra das grandes nuances deste modelo está mesmo no facto de permitir a integração de um segundo ecrã, que o converte «numa espécie» de smartphone dobrável, mas com limitações, já que não é possível usar os dois ecrãs como um só, fazendo prolongar uma mesma imagem.

A bateria do modelo é de 4.000mAh, seguindo o padrão dos principais topos de gama do mercado e as câmaras também não fogem às tendências mais usuais: três atrás e duas à frente.

Huawei entra no campeonato dos smartphones dobráveis com o Mate X


A Huawei também marca presença no campeonato dos smartphones de ecrã dobrável, com o Mate X, que apresentou na conferência do MWC. Tal como o Fold da Samsung, tem uma bateria dupla (embora aqui a capacidade total seja ligeiramente superior 4500 mAh vs 4350 mAh no Fold) e é um equipamento já preparado para o 5G, que varia entre as 6,6 e as 8 polegadas de ecrã.

Garante a marca que o modelo tem muito tecnologia desenvolvida «em casa», como o modem 5G incorporado, e que é hoje o smartphone 5G mais rápido do mercado, depois de três anos de desenvolvimento, que resultaram num modelo que não tem mais de 5,4 milímetros de espessura. Chega às lojas lá mais para meados do ano com preços a partir dos 2.300 euros.

Nokia e o smartphone das 5 câmaras traseiras

Pela exposição de Barcelona passaram muitas mais novidades para o mundo dos smartphones. A Nokia apresentou cinco, onde se destaca o Nokia 9 PureView, com cinco câmaras de 12 megapíxeis com óticas Zeiss, arrumadas em círculo na traseira do equipamento. Diz a empresa que asseguram imagens mais nítidas e com melhor detalhe.

No novo smartphone da Nokia, que vai custar cerca de 700 euros, cabe ainda um ecrã PureDisplay, 128 GB para armazenamento interno e 6 GB de RAM, bem como um processador Qualcomm Snapdragon 845. O modelo integra a plataforma Android One.

Mais novidades da China para Barcelona

Destaque ainda para a Xiaomi, que já é o quarto fabricante mundial de equipamentos móveis, que mostrou em Barcelona o recém-lançado Mi 9, um smartphone com 6,4 polegadas de ecrã, leitor de impressões digitais e uma aposta muito forte na imagem, que se materializa numa câmara frontal de 20 MP e um sistema triplo na traseira, com sensores de 46, 16 e 12 MP. Há três configurações disponíveis, a começar nos 6 GB de RAM e 256 GB para armazenamento.

Fechamos com as propostas da HiSense, outra empresa chinesa, que levou ao Mobile World Congress toda uma nova gama de equipamentos. Destaque para os novos A6 e U30. O primeiro integra um ecrã duplo, AMOLED na frente e de tinta eletrónica na traseira, onde também está uma câmara de 12 megapíxeis com duas unidades de deteção de luz, que permitem expandir a resolução para os 24 megapíxeis. Na parte da frente do modelo, que acabou por ganhar o prémio de melhor design móvel na feira
(iF DESIGN AWARD), há uma câmara de 16 megapíxeis.

O Hisense U30 é apresentado como o primeiro smartphone com processador Snapdragon 675 da Qualcomm, com suporte para câmaras até 48 megapíxeis. Conta um ecrã Full HD LCD de 6,3 polegadas, leitor de impressões digitais na traseira, RAM de 8GB e 128GB para armazenamento interno. A bateria disponibiliza uns tranquilizantes 4.500 mAh, para quem tem de permanecer longas horas longe de carregadores.

A empresa mostrou ainda o Hisense Infinity H30, com uma câmara traseira dupla de 16 e 5 megapíxeis e uma câmara frontal de 20 megapíxeis, arrumadas num ecrã IPS de 5,84 polegadas com resolução FullHD+, o Hisense Rock V Pro (ultra-resistente) e o Hisense Rock V.


Publicado em:

Mobilidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados