Partilhe nas Redes Sociais

«O primeiro ano do DocuWare na Ricoh Portugal foi de crescimento significativo»

Jesus Centeno, responsável da Ricoh em Portugal

Publicado em 18 Maio 2020 por Cristina A. Ferreira - Ntech.news | 685 Visualizações

Jesus Centeno, responsável da Ricoh em Portugal, falou com o Ntech.news para fazer um balanço da compra do DocuWare e do impacto da aquisição no mercado português, agora que o negócio está prestes a completar um ano.

O responsável garante que os resultados são animadores, não apenas no que se refere a este ativo, que veio enriquecer a proposta da Ricoh para apoiar as empresas locais nos seus processos de transformação digital, mas também em termos gerais.

Ainda sem números auditados para o ano de 2019, a Ricoh Portugal já apurou, no entanto, que as vendas em Portugal terão ultrapassado os 25 milhões de euros em 2019, num crescimento de mais de 50%, que reflete o impacto de outra aquisição feita no ano passado, a da TotalStor.

Ntech.news: Que posição ocupava o DocuWare no mercado português à data da aquisição pela Ricoh?

Jesus Centeno: O DocuWare proporciona um software de automatização de fluxo de trabalho e de gestão documental na cloud e localmente a mais de 12 000 clientes em mais de 90 países em todo o mundo, através de uma rede de 600 parceiros.

Desde a aquisição do DocuWare pela Ricoh em julho de 2019, e vendo a crescente necessidade das empresas portuguesas de fazerem a gestão automática e digital da documentação que geram, começámos a promover a sua comercialização no país. É um mercado que está a crescer e continuará a expandir-se nos próximos anos.

O que têm estado a fazer desde então para integrar a oferta do DocuWare na da Ricoh? Ao nível das sinergias que oportunidades identificaram?

J.C.: A aquisição do DocuWare pela Ricoh aprimora a nossa oferta no campo da digitalização. Esta solução foi integrada no portfólio dos locais de trabalho digitais e de automatização de processos que a empresa oferece às organizações. Além disso, o DocuWare já está perfeitamente integrado na nossa nova série de multifunções inteligentes IM C através do Ricoh Smart Integration, oferecendo aos clientes uma maneira simples e segura de digitalizar documentos e iniciar fluxos de trabalho de forma eficaz e inteligente.

Graças à liderança do DocuWare na área de gestão documental, ajudamos os nossos clientes a digitalizar e otimizar os seus negócios e processos, maximizando o valor dos seus documentos e conteúdo empresarial e promovendo o trabalho em equipa. Para esse fim, foi lançado um ambicioso plano de formação para a equipa comercial e técnica de forma a oferecer apoio total aos nossos clientes com o objetivo de aproveitar ao máximo o DocuWare nas suas organizações.

As razões, a nível global, para comprar o DocuWare foram explicadas pela Ricoh à data. Em Portugal valem os meus argumentos ou há alguma particularidade na subsidiária que possa tornar o negócio mais ou menos interessante a nível local?

J.C.: Dado o crescente pedido de gestores documentais que o mercado está a realizar em geral, e em Portugal em particular, a Ricoh tem uma grande oportunidade com o DocuWare para ajudar as empresas portuguesas a otimizarem os seus negócios, apoiando-as com a nossa tecnologia de gestão de informação corporativa, com a integração da solução com sistemas informáticos e com a automatização dos processos de negócio.

Em termos de balanço, como correu o ano do DocuWare em Portugal?

J.C.: O primeiro ano do DocuWare na Ricoh Portugal foi de preparação da nossa força comercial e de apresentação da solução ao mercado, mas também de um crescimento significativo. No ano fiscal de 2019, as vendas do DocuWare na Península Ibérica duplicaram, e esse nível de crescimento deverá continuar. Temos o interesse de muitas grandes empresas que sabem que esta solução pode ajudá-las no seu dia a dia e que já a estão a colocar em ação com resultados já visíveis, como é o caso da cooperativa de supermercados Coviran, que está presente em Portugal e em Espanha.

E no grupo Ricoh, quais foram os principais resultados de 2019 em Portugal?

J.C. : Ainda não auditamos os dados para o encerramento do ano fiscal de 2019, mas podemos antecipar que a Ricoh em Portugal terá ultrapassado os 25 milhões de euros em vendas, com crescimento de 57% após a aquisição no verão passado da empresa TotalStor.

Para 2020 quais são as grandes metas do Grupo Ricoh em Portugal e para a área de negócio do Docuware?

J.C.: Atualmente, estamos a consolidar a nossa posição como um dos principais players na transformação digital de empresas em Portugal. Por um lado, com a nossa oferta de Digital Workplaces, estamos focados em adaptar o local de trabalho após a crise da COVID-19 com uma nova forma de gestão de dispositivos e acesso a aplicações com as principais tecnologias, como Dell, VMware, Microsoft e Trend Micro, entre outras, que garantem acesso, agilidade e segurança no local de trabalho quer seja no escritório ou em casa. Além disso, digitalizamos os processos de trabalho através da conexão dos multifunções inteligentes com a cloud e a automatização dos processos de documentos, graças ao DocuWare. Por fim, propomos sistemas de comunicações unificadas e videoconferência líderes de mercado que permitem interações fáceis e de qualidade dentro e fora do ecossistema.

Por outro lado, com a oferta de modernização do data center e a migração de aplicações na cloud, onde faz sentido, complementamos a nossa capacidade através das mais recentes tecnologias para criar vantagens competitivas para os nossos clientes e enfrentar a nova normalidade com garantias.


Publicado em:

Na Primeira Pessoa

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados