Partilhe nas Redes Sociais

Quais as 3 qualidades mais valorizadas num Developer?

Fábio Rosa, senior manager na IT People Innovation

Publicado em 2 Julho 2019 | 1053 Visualizações

É possível que para alguns esta seja uma pergunta que aparenta ser fácil de responder. No entanto, ela tem muito que se lhe diga.

Nos meus anos de experiência no setor tecnológico já se tornou claro quais são os elementos que realmente são a chave. Curiosamente, mesmo neste setor, aquilo que faz qualquer profissional sobressair numa entrevista ou no seu contexto de trabalho, não são as suas capacidades técnicas, mas sim as suas capacidades de comunicação e relacionamento interpessoal.

Começando pela mais óbvia, a capacidade de comunicação. Tipicamente, uma boa capacidade de comunicação está diretamente ligada a uma boa capacidade técnica, pois quem sabe do que está a falar, fala sem impedimentos. E este não é o único motivo pelo qual a capacidade de comunicação está diretamente relacionada com a capacidade técnica.

Um bom developer utiliza as suas capacidades de comunicação para compreender os desafios tecnológicos que lhe são apresentados, perceber todas as suas componentes e propor soluções de forma oportuna e coerente. Quem possuiu boas capacidades de comunicação tem uma maior aptidão para compreender novos conceitos assim como para perceber as questões que tem de fazer para obter a informação necessária para o desenvolvimento das suas tarefas.

Assim, é fácil perceber porque é que esta capacidade é tão valorizada e porque é que está sempre em foco em qualquer interação com um potencial empregador ou chefia.

A segunda qualidade: uma atitude a outlook positivos. E porque é que isto importa? Pois um bom developer está proativamente interessado naquilo que está a desenvolver.

Esta atitude positiva em relação àquilo em que está a trabalhar reflete-se na sua disponibilidade para pensamento criativo assim como a capacidade para adaptação. É crucial para um developer, que repetidamente se depara com novas tecnologias e metodologias, não se deixar intimidar por mudanças no seu contexto, seja um novo ambiente de trabalho, alterações na equipa ou novas tecnologias.

Qualquer profissional se poderá encontrar num a situação à qual não sabe responder, no entanto é aqui que a atitude de cada um poderá fazer toda a diferença – pois, quase tão importante (ou até mais!) do que saber previamente as respostas a tudo é ter uma atitude positiva perante qualquer desafio apresentado. Todas as tarefas são exequíveis, mesmo que primeiramente não seja claro o caminho para o seu cumprimento.

Com isto, fica muitíssimo claro, que especialmente no mundo da tecnologia, em constante evolução, a atitude positiva perante qualquer situação é uma capacidade com muita valorização.

Finalmente, a terceira, mas não menos importante qualidade, tem a ver com a capacidade de trabalhar bem em equipa. Esta é uma capacidade que está intimamente relacionada com a capacidade de comunicação, e por motivos óbvios está neste top 3.  Por melhor que um profissional seja – de qualquer área – é rara a ocasião em que trabalha sozinho.

A maioria do trabalho técnico não é exceção, e tipicamente existem equipas de developers com especializações tecnológicas diferentes que trabalham em uníssono para a concretização de um objetivo comum, como um lançamento de um novo projeto ou a implementação de um novo sistema de software.

Boa capacidade de trabalho em equipa não significa apenas a capacidade de trabalho colaborativo, mas também a disponibilidade (de atitude e comunicativa!) para ajudar membros da sua equipa ou até, em reverso, reconhecer as situações em que necessita pedir ajuda.

Conseguir comunicar com sucesso com membros da equipa, com diferentes posições hierárquicas, opiniões e áreas de especialização pode ser uma das capacidades mais fulcrais para a criação de soluções criativas: que vão de encontro aos objetivos propostos de forma inovadora e que sem esta diversidade não existiriam.

Como já tinha referido no início, é curioso como mesmo no setor da tecnologia, é significativamente menos preponderante ser superespecializado numa área ou tecnologia do que cultivar certas capacidades de relacionamento interpessoal. Na verdade, arrisco até dizer que estas são as qualidades que distinguem os developers dos bons developers – a conjugação destas capacidades, demonstra um perfil profissional muito equilibrado em todas as áreas.

No final de tudo isto, a boa notícia que fica é que estas são qualidades que podem ser melhoradas e cultivadas por parte de qualquer profissional, inclusive developers. E, tendo o conhecimento da sua elevada valorização por parte das chefias, são aquelas que deveriam merecer maior atenção.


Publicado em:

Opinião

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados