Partilhe nas Redes Sociais

Startup de blockchain cria centro tecnológico em Portugal e está a contratar

Publicado em 22 Fevereiro 2019 por Ana Rita Guerra | 176 Visualizações

A startup inglesa Vakt abre hoje o seu escritório em Lisboa, oficializando a entrada em Portugal e a intenção de criar um centro tecnológico que estará operacional até ao final do verão. Financiada por gigantes da banca e indústria petrolífera, a empresa desenvolveu uma plataforma comercial baseada em blockchain para digitalizar as transações de matérias primas energéticas (commodities), em especial petróleo e gás natural.

Este investimento representa a criação de 60 postos de trabalho tecnológicos no centro de competências, com a startup a pedir no seu site «pessoas talentosas que adorariam trabalhar neste ambiente.» 

Trata-se de uma aposta importante, já que o escritório de Lisboa deverá ser responsável por parte das capacidades de desenvolvimento global da empresa, que neste momento está a programar com recurso a parceiros.

De acordo com o comunicado da Vakt, o centro terá equipas multidisciplinares nas áreas de gestão de projeto, análise de negócio, programação, infraestrutura e equipa de suporte. São estes os perfis de recrutamento de que a empresa anda à procura.

A Vakt é uma empresa muito recente, tendo sido lançada em 2018 com o financiamento da BP, Reliance, Chevron, Shell, Equinor, Total, Gunvor, Koch, Mercuria, ABN Amro, ING e Société Générale.

O racional de utilização de blockchain é o mesmo aplicado a outras áreas, como a segurança alimentar e a venda de diamantes: a tecnologia permite ter um registo inviolável e descentralizado, substituindo a necessidade de documentação em papel que torna as transações mais morosas e menos eficientes.

Etienne Amic, que entrou recentemente para o cargo de CEO da empresa, explica em comunicado que a decisão de criar o centro de competências em Portugal foi baseado num conjunto de vantagens apresentadas pelo país. O responsável nomeia a capacidade de recrutamento e atração de talento, «o ambiente educacional e de inovação» e a mentalidade empreendedora que se vive.

«Portugal é um país com startups de sucesso que são hoje empresas globais, e acreditamos que fizémos a escolha certa ao vir para junto do talento, inovação e empreendedorismo português», afirma.


Publicado em:

Startups

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados