Partilhe nas Redes Sociais

A Tecnologia de mãos dadas com o Marketing: o que podemos esperar?

Ana Barros, co-founder da Outmarketing

Publicado em 24 Setembro 2020 | 213 Visualizações

Há uns anos, quando o Marketing Digital começou a afirmar-se, um dos benefícios que mais se mencionava era a “mensurabilidade” desta disciplina. Enquanto no Marketing “tradicional” era muito complicado relacionar as Vendas com uma determinada ação de Marketing, no online, foi sempre diferente. As redes sociais deram-nos insights sobre o nosso público aos quais nunca tínhamos tido acesso, e as ferramentas de Analytics foram ficando progressivamente mais sofisticadas, de tal forma que, precisamos de uma visão laser para extrair os dados que realmente nos interessam.

A “mensurabilidade” foi, e ainda é, um dos pontos principais a favor do Marketing Digital, até porque “mensurabilidade” depressa se transformou em “foco” e “segmentação”. Todos concordamos que esta característica permite-nos tirar conclusões sobre a aquisição do Cliente, o seu comportamento e os meios que oferecem maior ROI. Para o Marketing, este “voyeurismo digital”, é uma forma de conhecer melhor as personas e os seus hábitos, criar campanhas mais segmentadas e construir narrativas mais relevantes. Quanto mais focadas forem as campanhas, maior a probabilidade de chegarem ao seu Perfil de Cliente Ideal e de criar uma ação de Marketing eficaz. 

Software sofisticado precisa-se

Obviamente, a determinada altura, o processo de analisar as estatísticas que recolhemos através de cookies, pixels e porções de código discretamente instaladas nos websites e nas aplicações, deu origem a um ramo distinto que continua a florescer: Data Analytics. Mas à medida que a big data se vai imiscuindo no dia a dia, é impossível fazer este trabalho sem assistência. Precisamos de softwares cada vez mais sofisticados para processar a informação e, sobretudo, precisamos de aprender a transformar esses insights em ações. Não serve de nada saber exatamente qual foi o comportamento de um potencial Cliente no seu website se isso não o ajuda a apresentar uma proposta diferenciadora.

É aqui que entra uma das ferramentas imprescindíveis para qualquer equipa de Marketing 4.0, o Marketing Automation. A gestão do relacionamento de Cliente com base na metodologia do Inbound Marketing, permite saber em que fase da jornada de compra se encontra, a origem do lead, que tipo de conteúdos devemos usar para o nutrir, que temas lhe interessam e que dúvidas acumula, que dores e preocupações sente. E, tudo isto integrado com outra ferramenta essencial – o CRM, pode ser um ás na manga de qualquer vendedor experiente. A bidirecionalidade e comunicação entre ambas as ferramentas, permite reunir toda a informação do Cliente e ter a noção da sua jornada. Este, é um dos maiores contributos que a Tecnologia deu nos últimos anos à área de Marketing e Vendas. 

Automação

Os CRMs de mãos dadas com a Automação de Marketing – um conceito inovador e determinante na nutrição de leads, permite-nos agilizar a comunicação com o Cliente, começar uma conversa logo depois de fazer um download ou de se registar para a newsletter, oferecer conteúdos apropriados à fase em que se encontra e desenhar uma jornada de compra. Fazer um telefonema ou enviar um email manualmente para nutrir toda a nossa base de dados, é impossível!  

Este, é um dos grandes pontos a favor da Tecnologia no Marketing. Tal como em qualquer outra indústria, a automação permite-nos reduzir tarefas rotineiras, o que liberta tempo para os marketers se dedicarem àquilo que fazem melhor. Não só conseguimos que façam um uso mais produtivo do seu tempo, como permitimos que a equipa atinja uma auto realização profissional e criativa. 

Privacidade e responsabilidade

Para o Cliente, também é atrativo receber respostas mais rápidas, anúncios mais relevantes e receber menos ruído publicitário quando está a navegar nos seus websites e redes favoritos. A experiência de utilizador melhora e a satisfação do Cliente aumenta. Mas, claro que tem um custo inegável. Trata-se de um paradoxo: para sermos menos intrusivos com a publicidade que criamos, temos de ser intrusivos nos dados que recolhemos. 

Esta realidade traz-nos várias responsabilidades acrescidas. Primeiro, a de respeitar a privacidade do Cliente e preservar o seu anonimato. Depois, a grande responsabilidade de proteger todos os dados que recolhemos. Isto torna-nos novamente reféns da Tecnologia, pois as empresas Tecnológicas, são as únicas capazes de produzir “antídotos” para os desafios que criámos. Felizmente, há cada vez soluções mais completas no mercado e, no futuro, esta será uma das principais preocupações de qualquer empresa a operar online. A proteção da informação.

Por último, gostaria de fazer uma ressalva: o impacto das Tecnologias não se limita ao Digital. Apesar de ser o principal beneficiado, a big data também começa a ter impacto no Marketing Tradicional, porque ajuda-nos a fazer pesquisa de mercado. Os leads que recolhe offline também devem entrar para o CRM e podem ser alimentadas online. Afinal, já ninguém habita num mundo totalmente analógico. 

A linha entre o que constitui o “online” e o “offline” começa a ser tão ténue que, em breve, até estes termos entrarão em desuso. Distópico? Não. É tecnológico. 


Publicado em:

Opinião

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados