Partilhe nas Redes Sociais

Alloga-Logifarma rende-se à IA

Publicado em 28 Setembro 2021 por Ntech.news- Luísa Dâmaso | 111 Visualizações

Dedicada à logística farmacêutica, há muito que a Alloga-Logifarma pretendia que o seu processo fosse ainda mais ágil, eficiente e competitivo. A empresa recebe dezenas de fornecimentos de unidades de produção espalhadas pelo mundo, maioritariamente pela Europa. A acompanhar os produtos vêm packing lists que chegavam em papel.

Embora a Alloga-Logifarma possua, já há muitos anos, um sistema de gestão de armazéns, os dados eram introduzidos de forma manual, através de uma pistola de radiofrequência que estava ligada ao sistema de gestão de armazéns. Os operadores liam o código de barras do produto e introduziam manualmente o lote, a quantidade, a data de validade e alguns parâmetros, como, por exemplo, o número de unidades por caixa.

Em 2020, a Alloga-Logifarma representava 150 laboratórios, o que equivale a 500 mil encomendas preparadas e 100 milhões de unidades expedidas no mercado nacional.

Desta forma, o desafio para a transformação digital do processo foi lançado à BI4ALL, que apresentou como proposta uma solução baseada em Inteligência Artificial. Esta nova ferramenta interpreta toda a documentação que chega à Alloga-Logifarma e comunica diretamente com o sistema de gestão de armazém. Desta forma, a informação é consolidada numa plataforma, o que facilita o processo, acrescenta automatismo e reduz a ocorrência de erros.

Hoje, à chegada da packing list que acompanha a mercadoria, esses dados são introduzidos automaticamente no sistema, por digitalização, e entram diretamente no sistema de gestão de armazéns da empresa, o que permite normalizar a informação e tê-la facilmente acessível.

Com processos mais ágeis e eficientes, a Alloga-Logifarma conseguiu reduzir o tempo de disponibilização de produto ao mercado e aos clientes, que aumentaram o seu nível de satisfação, uma vez que conseguem colocar os produtos à venda de forma mais rápida.

Entre os principais benefícios, João Gomes, diretor de Operações da Alloga-Logifarma, assinala «a redução do lead time de entrega, o aumento de produtividade, a redução de erros e a antecipação da informação».  Segundo ele, houve ainda um projeto paralelo de agendamento de mercadorias, com o objetivo de saber o que se vai receber no dia seguinte e conseguir identificar os produtos que estão em falta no sistema de gestão de armazéns”».

O responsável faz também referência à aceitação da solução tecnológica pelos colaboradores, acrescentando que «inicialmente houve alguma resistência à mudança por parte dos colaboradores, mas rapidamente todos os intervenientes reconheceram os benefícios que a solução trouxe ao processo de interpretação das packing lists, como uma melhor organização da atividade, aumento da produtividade, melhor serviço ao cliente e redução de custos”.

No futuro, a Alloga-Logifarma quer continuar a evoluir e estar na vanguarda da tecnologia, até porque reconhece que isso é uma vantagem competitiva face aos concorrentes. Depois deste projeto, na área da receção de mercadorias, João Gomes revela que está já a ser desenvolvida uma solução também baseada em IA para dentro do armazém.


Publicado em:

Projetos

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados