Partilhe nas Redes Sociais

As estratégias que vão ditar a sorte de 13 tecnológicas em 2020

Publicado em 3 Fevereiro 2020 por Cristina A. Ferreira e Cláudia Sargento - Ntech.news | 493 Visualizações

As empresas que colaboraram com o Ntech.news no Especial Tendências 2020 também partilharam as suas prioridades estratégicas para o ano que agora começou e há um pouco de tudo.

Nos temas que dão o mote aos planos de cada tecnológica para os próximos meses, o pano de fundo comum é o esforço para se posicionarem o melhor possível enquanto parceiros de transformação digital de clientes e potenciais clientes.

Mas as empresas também continuam de olho nas oportunidades da internacionalização, nas tecnologias emergentes e na renovação de recursos, para transformarem os seus próprios negócios, como denotam vários testemunhos.

A Novabase alinha a sua estratégia para 2020 com as três tendências que acredita vão marcar o ano: tecnologia, talento e internacionalização. 

A Novabase quer transformar-se numa Next-Gen IT Services Company, revela Nelson Teodoro.

Nelson Teodoro, responsável de marketing da empresa, assegura que nos próximos meses a companhia estará focada em fazer crescer o segmento Next-Gen, uma «nova geração de tecnologias que nos permitirá sermos mais competitivos e mais valiosos para o mercado e para os nossos clientes».

A meta passa por «duplicar o volume de negócios no segmento das tecnologias mais recentes, para um montante superior a 150 milhões de euros até 2023, com foco na Europa e no Médio Oriente», revela.

Esta aposta numa nova geração de tecnologia está aliás no centro da estratégia da tecnológica, não apenas para este ano, mas também para os anos seguintes.

A meta é transformar a Novabase numa «Next-Gen IT Services Company»,

o que passará por investir em «talento, tecnologia e em algumas aquisições, para aumentar o acesso a clientes nos mercados alvo», admite Nelson Teodoro. 

Unbabel vai explorar novos mercados em 2020

A Unbabel, eleita no final do ano passado como a maior scale up portuguesa, aponta como meta para 2020 «crescer a todos os níveis, tanto a nível interno – captando os melhores talentos por exemplo – como a nível externo – conquistando novos mercados», adianta Vasco Pedro, CEO e co-fundador da empresa, assegurando que o plano estratégico da companhia está bem definido. 

Alargar a presença nos Estados Unidos é uma das grandes prioridades da Unbabel para a sua plataforma de tradução, que combina inteligência artificial e trabalho humanos, para traduzir e validar resultados.

Vasco Pedro admite que o mercado dos EUA, onde a empresa aliás começou o negócio, poderá representar 70% das receitas nos próximos dois anos, mas a Europa e a Ásia também integram a estratégia de crescimento da Unbabel, que pretende «dominar o mercado de apoio ao cliente multilingue».

E há mais, Vasco Pedro revela que 2020 será o ano em que a Unbabel conta estrear-se em novo mercados «preparando assim uma segunda vertente de crescimento». E mais não revela, para já.

Claranet prepara novos serviços 

Cloud, segurança e big data são algumas das áreas onde a Claranet quer lançar novos serviços este ano, adianta António Ferreira

A Claranet quer usar 2020 para consolidar posição em Portugal, entre os maiores fornecedores de serviços TI no país.

«Não só mantendo o crescimento do negócio e a rentabilidade, mas sobretudo reforçando o nosso portfólio com mais serviços relevantes para os nossos clientes», admite António Miguel Ferreira, diretor-geral da empresa em Portugal, Espanha e na América Latina.

Os novos serviços que a Claranet está a preparar vão focar-se em áreas como o machine learning, big data, cloud refactoring, future workplace ou cibersegurança, exemplifica o responsável.

O Local Delivery Center da Atos no Algarve vai continuar a crescer.

Atos quer apostar em novas áreas tecnológicas

Na Atos Portugal, 2020 será ano de consolidação e de expansão. Consolidação, do Local Delivery Center que a empresa abriu em Loulé no final do ano passado e que até final de 2020 deverá empregar


cerca de 80 colaboradores, numa estrutura que quer prestar serviços que suportem e acelerem a transformação digital das empresas.

De «expansão para outras áreas tecnológicas que nos possam permitir continuar a crescer organicamente de forma sustentada e rentável», adianta Octávio Oliveira, responsável de vendas da companhia. 

Ábaco aposta todas as fichas na cloud 

Já a Ábaco, promete concentrar esforços este ano em soluções cloud «importantes para a nossa base de clientes». Neste domínio, Nuno Figueiredo, administrador da empresa, coloca as soluções para a Gestão de Capital Humano; Planeamento de Supply Chain em tempo real; Compliance Fiscal e Otimização de Compras Complexas.

O administrador deixa ainda uma nota para o negócio SAP, que tem sido um dos grandes pilares na atividade da Ábaco, e este ano manterá o estatuto. A conversão da base instalada para a nova versão SAP S/4 Hana será um foco importante de negócio para a consultora em 2020.

Nova organização da estrutura marca a atividade da Dell em 2020  

A Dell fechou o ano a anunciar uma reorganização no modelo de operação, que deixa cair a direção bipartida (Commercial e Enterprise) para passar a orientar o negócio através de uma única direção geral. Isabel Reis, até agora responsável pelo negócio Enterprise (ex-EMC), assume o novo cargo em Portugal.      

Esta mudança será um dos pontos fortes na estratégia da marca para 2020. «A força das duas equipas em conjunto tornará a Dell uma companhia ainda mais forte com uma das maiores organizações comerciais», sublinha Isabel Reis. Na prática, a fabricante pretende com este movimento criar «uma rede de serviços e soluções mais estruturada e reunir expertise», para criar mais valor para o cliente. A nova organização produz efeitos a partir de 1 de fevereiro. 

BI4All alarga oferta, muda de casa e de programa de parceiros

Este ano a BI4All pretende contratar 50 novos colaboradores, diz José Oliveira, CEO da BI4All.

Também na BI4All, uma mudança na organização da empresa promete marcar o ano. A tecnológica liderada por José OIiveira vai transferir-se para um novo espaço, que deverá ficar pronto antes do final do ano. «A ideia é criar uma cidade BI4All», revela o responsável, sublinhando que a maioria dos colaboradores da empresa são millennials e que há uma preocupação grande da estrutura em integrar bem esta faixa etária.

Ao longo do ano a BI4All quer ainda reforçar a equipa e conta contratar cerca de 50 novos colaboradores. Além disso, «vamos lançar novas soluções, nomeadamente para a área de finance, de marketing e depois para as áreas verticais ao nível do legal, hotelaria e de Farma», indica ainda José Oliveira. Na calha está também, um novo programa de parceiros, que promete revolucionar a forma como a empresa interage com esta rede.

José Paraíso quer manter aposta forte na IBM Serviços Portugal 

Para a IBM, a tecnologia cloud, aberta, híbrida, multicloud continuará a ser aposta em 2020, «tirando o máximo partido da compra da Red Hat», a par da inteligência artificial, admite José Manuel Paraíso.

O novo líder da IBM Portugal junta às orientações internacionais um «objetivo pessoal», que passa por dar continuidade ao sucesso da operação local na área dos serviços, onde a «IBM Portugal tem sido consecutivamente reconhecida pela sua liderança», sublinha o responsável. 

5G «empurra» Ericsson em 2020 

Nas telecomunicações, o prato forte do ano vai para o 5G e é isso mesmo que a Ericsson destaca. Até meados de janeiro, a empresa tinha fechado 78 acordos comerciais com operadores de quatro continentes, dos quais 24 já têm redes comerciais 5G ativas.

Durante o resto do ano, a meta passa por continuar a ganhar clientes entre as empresas que vão colocar a 5ª geração móvel a rolar, sem esquecer os compromissos anunciados pela empresa na área da sustentabilidade.

O que se pretende? «Reduzir as emissões das operações e produtos da Ericsson em 50%», concretiza Nuno Roso, responsável pela área de serviços digitais da subsidiária portuguesa, a rematar o tema.

Primavera aposta na IA, SAP na personalização e PHC em novos produtos

SAP Luís Urmal Carrasqueira
Luís Carrasqueira, diretor-geral da SAP Portugal, diz que assumir a individualidade de cada empresa é essencial.

David Afonso, vice-presidente sénior da Primavera BSS, admite que a inteligência artificial é uma das grandes apostas da software house portuguesa este ano, a materializar no ERP da empresa para a cloud: «no ano de 2020 contamos dar um salto significativo na concretização desta estratégia, sendo o ROSE o primeiro produto a interpretar, de forma estruturada, este novo paradigma», revela o responsável. 

A SAP prefere destacar a importância de «disponibilizar a todos os clientes as condições adequadas» e as «soluções que melhor se adequem a cada cliente em concreto» e é isso que Luís Carrasqueira, diretor-geral da filial portuguesa, coloca no topo das prioridades da empresa para este ano. Já a PHC promete novos produtos, novas funcionalidades e apoio à internacionalização dos parceiros, em mercados onde a empresa já está presente. 

Na Oracle mandam as bases de dados autónomas

Há dois anos a Oracle lançou as bases de dados autónomos e e é aí que a empresa mantém o foco em 2020, como destaca João Borrego. A Oracle aposta todas as fichas nesta nova geração de tecnologia, que a companhia vê como a solução perfeita para «pequenas empresas com grandes ideias e grandes empresas com ideias experimentais», como refere o solutions engineering diretor da empresa em Portugal.

No Especial Tendências 2020 do Ntech.news colaboraram 14 gestores de empresas e associações (Cionet), que partilharam perpetivas sobre os temas que prometem marcar o ano no sector, as suas empresas e os negócios dos seus clientes. As principais ideias estão nesta galeria:


Publicado em:

Negócios

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados