Partilhe nas Redes Sociais

PUB

Investimento global em TI cresce, mas há incertezas no horizonte

Publicado em 17 Janeiro 2018 por Ntech.news - Ana Rita Guerra | 222 Visualizações

Os gastos mundiais com TI vão atingir 3,02 biliões de euros em 2018, um crescimento simpático de 4,5% face ao ano passado. A Gartner espera que o mercado continue a evoluir positivamente, mas já prevê uma travagem em 2019: é que há muitas incertezas no horizonte. Os investimentos em TI serão afetados por diversos fatores, com o Brexit a ser uma preocupação grande para organizações de todo o mundo. Há ainda o efeito das flutuações cambiais e o medo de uma recessão global. Em 2019, o crescimento deverá ser de apenas 2,7%.

«Apesar desta incerteza, as empresas vão continuar a investir em TI visto que antecipam crescimento das receitas, mas os padrões de gastos irão mudar», explica o analista John-David Lovelock. Segundo ele, «os projetos em negócios digitais, blockchain, Internet das Coisas e a progressão de big data para algoritmos, para machine learning e para inteligência artificial continuarão a ser grandes impulsionadores do crescimento».

A taxa mais elevada de crescimento regista-se este ano no software empresarial, que sobe 9,5% para 317 mil milhões de euros. As empresas vão investir mais em software aplicacional, sendo que haverá um desvio de orçamentos para software como serviço (SaaS). A maior disponibilidade deste tipo de soluções está a motivar a subida de subcategorias como sistemas de gestão financeira, sistemas de gestão de capital humano e aplicações de analítica.

Olhando para o volume global, os serviços de comunicação captam o maior investimento – 1,16 biliões de euros, mais 2,4% que no ano passado. Seguem-se os serviços de TI, que vão crescer 5,5% para 804 mil milhões de euros. Depois aparecem os dispositivos, entre os quais se contam smartphones e computadores, com um recrudescimento de 5,6% para 574 mil milhões. Onde está a má notícia? Nos sistemas de centros de dados. Aqui o avanço será parco, apenas 0,6% para 146 mil milhões, com previsões de queda (-0,2%) já em 2019.

 

A força da inteligência artificial

Um ponto interessante da análise da Gartner é que a consultora espera que a inteligência artificial seja responsável por 2,37 biliões de euros de novas oportunidades de negócio em 2021, bem como a capacidade de recuperar 5 mil milhões de horas de produtividade dos trabalhadores. «Esse valor de negócio é atribuível ao uso de IA para, por exemplo, levar a ganhos de eficiência, criar insights que personalizam a experiência do cliente, aumentar a envolvência e o comércio, e ajudar a expandir oportunidades de geração de receitas como parte de novos modelos de negócio possíveis pela análise de dados», complementa Lovelock.

O analista diz que as empresas que quiserem aproveitar os novos potenciais terão de gastar dinheiro, em especial quando procuram poupanças de curtos prazo. «Investir em IA para experiência do cliente e geração de receitas vai beneficiar do facto de a IA ser uma força multiplicadora – o custo para implementar será excedido pelos efeitos de rede positivos e consequente aumento das receitas».

 


Publicado em:

Negócios

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados