Partilhe nas Redes Sociais

Konica Minolta prepara-se para o GDPR

Publicado em 3 Outubro 2017 por Ntech.news | 629 Visualizações

A Konica Minolta antecipou a entrada em vigor do novo regulamento de proteção de dados pessoais (GDRP), que será obrigatório em maio de 2018. A empresa desenhou uma nova estrutura política que será implementada de imediato nos países europeus onde a Konica opera e alargada às suas operações mundiais.

«Na Konica Minolta, reconhecemos que a confiança dos nossos clientes, parceiros de negócio, diretores e colaboradores é o recurso mais valioso que possuímos», afirma Ikuo Nakagawa, presidente da Konica Minolta Business Solutions na Europa, justificando a decisão. «Esforçamo-nos para recompensar esta confiança, não apenas através dos nosso melhores produtos e serviços, bem como através do alcance de padrões elevados no que diz respeito à conformidade, segurança e responsabilidade social».

O primeiro efeito deste novo enquadramento é que a Konica Minolta vai aplicar medidas técnicas para que sejam sempre processados apenas os dados pessoais necessários para um objetivo específico. «Todos os esforços serão realizados para garantir a precisão de dados constante e, para além do que é necessário, nenhuma informação pessoal será retida mais tempo do que o suficiente», explica a empresa. O princípio da proteção de dados por design e por defeito será acompanhado pelo desenvolvimento de novos produtos.

Por outro lado, a empresa nomeou um Gestor de Coordenação para Proteção de Dados em cada país da Europa. Estes gestores vão reportar diretamente ao diretor geral de cada organização nacional da Konica Minolta e a Frederike Rehker, que está a coordenar a iniciativa. Para assegurar a transparência com os clientes e parceiros, a empresa está também a publicar os detalhes acerca da política de proteção de dados nos webIsites de cada país.

A intenção é não só antecipar o cumprimento da GDPR, mas também ultrapassar os requisitos da norma, que constitui a mudança mais importante no regulamento de proteção de dados em vinte anos. Irá implicar mudanças abrangentes para as empresas ao reforçarem significativamente os direitos e a proteção das pessoas, e vários estudos mostram que a maioria das empresas ainda não fez muito para garantir a conformidade, sendo que as coimas por incumprimento serão muito pesadas.

A IDC divulgou recentemente um estudo no qual refere que 80% dos responsáveis de TI ou não têm plena consciência dos impactos do GDPR ou nunca ouviram falar da norma. Dos que têm conhecimento, apenas 20% cumprem as novas obrigações, 59% ainda estão a trabalhar em direção ao cumprimento e 21% não estão preparados de maneira nenhuma.

 


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados